QUAIS CORES NA CASA PODEM CONTRIBUIR PARA O SEU BEM-ESTAR

Nos dias de hoje, falar de bem-estar em casa é mais do que um desejo, virou necessidade. A nossa casa virou o centro da nossa vida. Passou de ser local de descanso depois de um dia agitado, para ser palco de tudo que acontece na nossa vida. Trabalho, descanso, entretenimento e autocuidado, tudo junto e misturado nos mesmos ambientes. Em alguns casos, também a vida escolar dos filhos. Muitas mudanças aconteceram nas nossas vidas nos últimos 4 meses, e ainda quando todos desejamos voltar ao normal, há uma ideia latente de que nada voltará a ser como antes, ou viveremos um “novo normal”.

Esse “novo normal pós pandemia” ainda verá a casa como palco central da nossa vida. Uma pesquisa feita pela FGV diz que crescerá o número de empresas que continuem adotando o home office após a crise do coronavírus. E para falar verdade, basta com perguntar para o meu marido e para todos meus amigos que trabalhavam em escritórios, há inúmeros benefícios muito bem vindos em trabalhar desde casa. Estar mais próximos dos filhos, finalmente aprender a cozinhar, curtir os animais de estimação que antes ficavam sozinhos na casa… são somente algumas das vantagens. Claro que também há problemas resultantes de uma mudança tão drástica em tão curto espaço de tempo. Sendo talvez o principal que a nossa casa não estava preparada para tamanha transformação. 

Se antes já buscávamos conforto e aconchego em casa, agora é mais ainda. Fazia tempo se falava da tendência da casa como “casulo” como a nossa proteção, e o futuro chegou.


Grande parte do nosso bem-estar - e diria que até da nossa saúde mental - passa por nos sentir bem em casa. Nos sentirmos plenos, com segurança, conforto e tranquilidade na nossa casa deve ser o "novo normal".

As cores da casa podem ser de grande ajuda nessa empreitada. Sabemos que elas influenciam em forma inconsciente os nossos sentimentos, comportamentos e até como interagimos com os outros, podendo afetar a nossa saúde e nosso bem-estar físico, mental e emocional. Como eu sempre digo “Façamos as cores trabalhar ao nosso favor”. Ou seja, fazendo escolhas de cores para a casa conscientes, a partir das nossas necessidades, podemos tirar proveito delas para o nosso próprio beneficio. 

Eu vou te ajudar dando dicas de como diferentes cores na casa podem contribuir para diferentes necessidades. Assim, restará para você o mais importante: saber o que você precisa que as cores façam. Veja a seguir:

Para ter equilíbrio: verde é a cor que melhor representa a ideia de harmonia e equilíbrio. Também de vida, de regeneração e de cura. Verde menta, verde sálvia, verde oliva e verde musgo são tonalidades que podem cair bem em muitos ambientes. O primeiro mais claro e aéreo, portanto mais calmo e relaxante. Os restantes mais apagados e aterrados, são também mais refinados e fortes. O verde folha, o mais vivo de todos os mencionados até agora, seria mais indicado para um ambiente no qual seja necessária uma dose extra de energia.  

Para ter tranquilidade: aqui há uma enorme gama de cores que podem proporcionar tranquilidade. Se começamos pelas cores de temperatura fria, que são cores que parecem “repousar” sem exigir muito da gente, temos de novo os verdes, junto com os azuis e violetas. Quanto mais claras sejam a tonalidades escolhidas, mais traremos essa ideia de relaxamento  e de calma para dentro dos ambientes. Podemos aqui pensar em um azul celeste clarinho, um verde acqua, uma cor lavanda ou um tom de malva, aquela cor que lembra cheiro de avó e só por isso inspira cuidado. Estas cores frias, mas em versões apagadas e de tonalidade média (ou seja nem muito claras, nem muito escuras) também provocam ideia de relaxamento. 

Para manter o foco: brancos e cinzas seriam boas cores para quem quiser criar ambientes que favoreçam a concentração e o foco, evitando distrações. Eu escolheria sempre brancos com subtom creme ou manteiga, para trazer esse calor como de cheiro de bolo recém assado, sabe? O calor da casa. Vale dizer que somente indico usar branco em alguns casos muito específicos, ou seja não é toda casa que admite o branco nas paredes. E no caso dos cinzas, para evitar que os ambientes fiquem muito frios e distantes, fugiria do cinza totalmente neutro ou do cinza azulado e escolheria sempre cinzas com subtom amarelado, esverdeado ou avermelhado, ou seja, cinzas que aquecem e que têm cara de casa e não de escritório corporativo. 

Para aumentar a criatividade: amarelo é a melhor cor para inspirar novas ideias e para nos ajudar a pensar em forma criativa. Com sua dose de energia, otimismo e positividade, tonalidades de amarelo são perfeitas para ambientes familiares em tempos de quarentena. Os amarelos alaranjados e amanteigados são ainda mais acolhedores. Se tratando de amarelos, tome cuidado de evitar tonalidades muito vibrantes porque podem ser cansativos demais se usados em grandes áreas. Aí você provocará o efeito totalmente contrário ao desejado.

Para dormir bem: cores claras e cores frias são as escolhas clássicas para dormitórios. São cores calmas, que tranquilizam e nos ajudam a abaixar a agitação de um dia cheio de obrigações e nos dispor a descansar. Uma alternativa diferente para sair do lugar comum seriam os rosas coral, os mais claros, que trazem a delicadeza do rosa e um convite para sonhos em terras cálidas banhadas pelo mar.

Para estarmos conectados com o mundo exterior: para quem vivemos em apartamentos estarmos dentro de casa implica em perder uma grande dose de bem-estar que vem pelo contato com a natureza. Uma forma de suprir isso seria transformar a nossa casa em uma “Urban Jungle” com plantas que trarão vida em dose dupla, pelas tonalidades de verde e pela consequente melhora do nosso ar. E uma alternativa menos comum seria usar tonalidades de marrom, que ao igual que o verde falam da natureza, mas também inspiram confiança, consistência e segurança, tão importante em tempos onde tudo parece estar de pernas para o ar. Escolheria os marrons mais gostosos, aqueles marrons caramelo ou marrons chocolate. Deixaria os marrons café reservados para ambientes que também precisem também de sobriedade, seriedade e maturidade.


Espero que estas dicas de cores sejam valiosas para você neste momento de transformação e de repensar a sua casa para o futuro. Se precisar de uma ajudinha adicional, pode fazer downlaod do eBook gratuito "Como escolher as cores certas para sua casa", deixei o link para ele logo no fim do post :)


Um último esclarecimento para ajudar você a escolher a cor certa para trazer mais bem-estar para sua casa. Ainda que o efeito psicológico das cores é universal, as respostas que oferecemos às cores são pessoais. Portanto, sempre é necessário refletir sobre o efeito que as cores têm em nós, de acordo com o nosso conhecimento intuitivo de gostos, preferências e lembranças associadas às cores. Se você gosta ou não de uma cor, se você têm ou não uma associação positiva ligada a uma cor, isso falará mais alto na hora de escolher a cor certa para sua casa.


As cores são também um caminho de autoconhecimento. Aproveite este momento de tanta transformação para pensar em você e naqueles que moram junto, e adicione essa informação como input na hora de escolher as cores que ajudarão você a trazer mais bem-estar para sua casa.


Fique bem! Abraço colorido.


Felicitas :)



Felicitas Piñeiro. Diretora Criativa e fundadora.

Especialista em cores e designer de Interiores.

Use cores sem medo.
Não existe emoção sem cor. 
felicitas@coreslovers.com
Rua Cristiano Viana 288, Pinheiros - São Paulo

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Pinterest Icon

© 2020 por Cores Lovers.