COMO "VER" CORES NA PRÁTICA

Como eu sempre digo, vamos começar pelo começo. E se tratando de cores, antes de sair escolhendo cores é preciso entender o que você está vendo. Isto pode parecer simples demais mas há dicas e truques, de quem faz isso diariamente, que podem servir a você.


Antes de ir à parte prática é bom alinhar os conceitos de três características fundamentais que todas as cores têm e são matiz, luminosidade e saturação. Para entender o que estamos vendo é preciso poder identificar estes três elementos em todas as cores.


Matiz: se refere à família de cor, ou seja se é amarelo, vermelho, azul, verde, marrom, laranja... etc. O matiz é importante porque carrega o conteúdo emocional da cor. É pelo matiz que temos a primeira aproximação para o simbolismo das cores.


Luminosidade: se refere a quão clara ou escura é uma cor. Também podemos pensar na ideia de quanta luz uma cor naturalmente reflete. Assim por exemplo, o amarelo será sempre a cor mais luminosa, enquanto o violeta será a cor menor luminosa. É pela luminosidade que dizemos que uma cor é mais clara ou mais escura do que outras cores.


Saturação: se refere a quão vibrante ou apagada é uma cor. A saturação se refere à intensidade de uma cor, quanto ela atrai o nosso olhar.


Entendidos esses conceitos vamos à parte prática de como reconhecer e entender as cores que estamos vendo.


>>> o importante a dizer é que há grandes vantagens em observar as cores em comparação com outras cores. É na comparação que muitas das características das cores se revelam.


Primeiro passo: é preciso identificar o matiz. Falando de matiz, é o primeiro que vemos quando entramos em contato com uma cor. É muito difícil ter dúvida sobre qual é o matiz, exceto quando se trata de cores intermediárias (veja este post no qual falo delas) e portanto o subtom pode fazer com que duvidemos entre um ou outro matiz. Como por exemplo quando estamos olhando para uma cor e ficamos na dúvida de se é um verde azulado (matiz verde com subtom azul) ou se estamos olhando para um azul esverdeado (matiz azul com subtom verde).


Como eu disse acima, é na comparação muitas vezes, que o subtom se revela. Vejam este exemplo dos papéis coloridos do kit exclusivo de Cores Lovers. São duas cores muito similares. Olhando elas em forma isolada é até difícil perceber a diferença. Á esquerda um bege amarelado. Á direita um bege rosado. Mas quando vemos elas em comparação o subtom amarelado de uma delas realmente se revela.



Neste outro exemplo, na primeira foto um laranja rosado. Certo? Eu poso intuir, mas olhando para essa cor sozinha, não sei exatamente quanto há de rosa nele. Mas se volto olhar essa mesma cor em comparação com um laranja, de repente, o rosa se revela.


Segundo passo: vamos agora observar e identificar a luminosidade. Ou seja, se a cor em questão é mais clara ou mais escura do que outras cores com as quais desejo usar junto por exemplo.


No mesmo exemplo anterior, das duas cores beges, vemos na comparação que parece haver uma diferença de luminosidade entre elas. Mas, um truque - que serve para ter certeza - é fazer uma foto das cores em questão e transformar em escala de cinzas. Ao fazer isso, você está eliminando o matiz e vai observar somente a luminosidade. Veja que ao fazer isso fica claro que a diferença de luminosidade é mínima.


Vamos ver agora este exemplo: vou avaliar uma cor azul (no meio das três fotos). Mas, eu sei que esta cor tem algo a mais. Para "ver bem" nada melhor do que comparar com outras cores. E veja só: primeiro comparo com um azul noite, depois comparo com um azul turquesa. Veja como nos dois casos vão aparecendo diferentes lados das cores, inclusive podemos ver como as cores mudam em relação com as outras cores. O azul em questão, fica mais violáceo e mais claro em comparação com o azul noite. E o mesmo azul, fica ainda violáceo mas mais escuro em relação com o turquesa.


Terceiro passo: vamos agora observar a saturação. Ou seja, se a cor em questão é mais vibrante ou mais apagada do que outras cores que estou cotando para o meu projeto por exemplo. Vou avaliar tons de amarelo, um à direita, outro à esquerda. Olhando sozinhos, eu já posso ter uma noção do grau de saturação de cada um. Mas nada como olhar em comparação, na foto do meio, para ver como um deles é um amarelo mais vibrante do que o outro.



Para finalizar, é preciso fazer um esclarecimento. É muito difícil fotografar cores em forma caseira, fora de um estúdio, e que elas saiam exatamente como elas são. Estas fotos acima retratam o mais fielmente que eu consegui o que estava enxergando ao realizar estes testes com o kit de papéis coloridos exclusivo de Cores Lovers.


Este post foi uma abordagem prática - muito prática mesmo - de como ver e entender as cores com as quais estamos trabalhando. Com prática e treino, algo que considero fundamental para quem quer usar cores sem medo, estes passos acabam sendo cada vez mais fáceis, mais rápidos e eventualmente serão quase instantâneos. Por isso, reforço novamente a importância de treinar o olhar e praticar.


Abraço colorido!

Felicitas



Felicitas Piñeiro. Diretora Criativa e fundadora.

Especialista em cores e designer de Interiores.

Use cores sem medo.
Não existe emoção sem cor. 
felicitas@coreslovers.com
Rua Cristiano Viana 288, Pinheiros - São Paulo

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Pinterest Icon

© 2020 por Cores Lovers.