AS CORES FALAM, APRENDA A ESCUTÁ-LAS

As cores falam. Ás vezes elas falam alto. Outras baixinho como em sussurros. Ás vezes elas falam devagar e pausado. Outra vezes acaramelado. E há quem diz que elas falam grosso. Ás vezes elas falam entrecortado. Outras falam sem pausa nem intervalo rapidinho e sem respirar. A nós fica escutar.

Que as cores falam é um fato. O que eu gostaria de contar a vocês é como é essa língua das cores e dar um mini dicionário ilustrado com o qual poderão se virar nas mais diversas situações. Vamos começar pelo começo dizendo que a cor é um sensação visual, a sensação da luz. E isso que parece simples já diz muito porque entramos no mundo dos sentidos e das percepções. Ou seja, da forma em que conhecemos o mundo e nos relacionamos com ele.

Desde os primeiros homens e ao longo da humanidade, até os dias de hoje, aprendemos a importância das cores na nossa vida seja com fins decorativos, simbólicos ou funcionais. Isso virou matéria de estudo quando em 1810 Goethe escreveu que as cores "podem ser utilizadas para certos fins sensíveis, morais e estéticos" no livro "A Doutrina das cores".


De lá para cá não temos dúvidas do poder das cores na comunicação visual. Basta googlear "Psicologia das Cores" e teremos infinitos recursos a nossa disposição que abordam a forma em que as cores comunicam e como podemos usá-las no marketing, no desenvolvimento de produtos, na nossa imagem pessoal. Os usos são infinitos. Tanto quanto os artigos de qualidade que falam sobre isso. Por isso o foco deste artigo é sobre aprender a ouvir as cores, não somente vê-las, mas ouví-las. Porque como disse antes, elas falam. Sim, falam.

Vou explicar a distinção entre ver cores e escutar cores. Dessa forma vamos decifrando a língua das cores. Quando vemos uma cor, o primeiro que vemos é o matiz. Vemos se ele é amarelo, verde, azul, marrom, branco, preto, vermelho, violeta, laranja, cinza. Esse é o matiz, também chamado de família de cor. O matiz é fundamental porque traz o conteúdo psicológico da cor. De fato, todos os artigos que abordam a questão da psicologia das cores o fazem em função do matiz. Assim dizemos que vermelho é a cor da paixão, amarelo é a cor da alegria, verde é a cor da natureza... e assim vai.


O importante é que o matiz acaba sendo a ponta de um iceberg. E aí é onde vemos a importância de não somente ver mas escutar as cores. Quando vamos a escutar qualquer coisa, o volume é fundamental. Há sons altos e outros baixos. Há sons agudos e sons graves. E com as cores é igual. Mas, muito melhor do que falar... é escutar. Escute por você mesmo como estas cores falam.


Veja se consegue diferenciar quais falam mais alto e quais falam mais baixo.

E agora, consegue diferenciar quais falam mais agudo e quais falam mais grave?

E ainda consegue diferenciar quais falam mais pausado e quais falam mais rápido?