A INSPIRAÇÃO DA COR


Adoro a época de desfiles... New York, Londres, Milão, São Paulo… sou uma especialista em moda? Não, longe disso, sou especialista em cores e me alimento de tudo que aparece aos meus olhos. Sem parar. Incansavelmente.


Ontem abro o meu Feedly tarde à noite e leio "Giorgio Armani: The Essence of Colour” (Giorgio Armani: A essência da cor) … pronto, captou minha plena atenção. E assim de fácil entro no mundo de Giorgio Armani e junto com repórteres de meios especializados em moda começo a me alimentar de uma paleta de cores que é delicada, ultra-feminina e também brilhante, onírica por vezes e outras vezes parece impressionista (ou até pontilhista).


Me deparo com a quase-pergunta da repórter da Vogue UK… I wondered where the inspiration had come from… (…me perguntava de onde a inspiração vinha…) e então volto ao começo… adoro ver desfiles porque são uma forma de inspiração para mim e tudo faz sentido, o nosso mundo circular de novo me mostra que tudo está conectado e que tudo pode ser começo e fim. E como é bom ficar sempre de olhos abertos. E o coração, bem acordado.


Buscando saber mais da inspiração de Giorgio Armani (sim, tenho a mania de quando me interesso por algo buscar, buscar, buscar e então ler, ler, ler…) vejo uma frase do próprio Giorgio, a esta altura já íntimos, após o desfile não deste ano, mas do ano anterior 2017, e ele então disse “I do not see why I have to dwell on sadness, making women even sadder... I answer with colors in a time of sadness” (Não vejo por que tenho que insistir na tristeza, fazendo as mulheres ainda mais tristes…. respondo com cores em momentos de tristeza). Voilá! Sim, Giorgio estou de acordo contigo. Eu também respondo com cores em tempos de tristeza.


Para terminar este momento de conexão com a obra do estilista Giorgio A