USAR CORES COM LIBERDADE OU SEGUIR TENDÊNCIAS?

Nas últimas semanas duas das principais empresas de tintas no Brasil deram a conhecer suas cores tendência para 2021. Para mim sempre é um momento muito esperado e aproveito para aprender ainda mais sobre cores. E sempre fica a pergunta: dado que sou defensora de usar cores com extrema liberdade, não é contraditório estar ligada nas tendências de cores? 

Quem inventou a ideia de “Cor do Ano” foi a Pantone no ano 2000. Com motivo da mudança para o novo milênio havia grande rebuliço sobre o que nos esperava no século XXI e assim iniciaram um conceito inovador para branding, marketing e todos que trabalhamos com cores e com criação. A primeira cor do ano foi azul cerúleo e foi tão bem sucedido que a “Cor do ano” se transformou em um evento anual muito esperado no mundo todo e muitas outras empresas - principalmente na indústria de tintas e grupos de tendências, estilo, moda e design como WGSN, Coloro, Fashion Snoops, Color Marketing Group, entre outros - se somaram à onda de desenvolver tendência de cores. 

Eu não vejo que há uma contradição em ser defensora de usar cores com liberdade e acompanhar a evolução das tendências de cores. Para usar cor com liberdade você fará um exercício de autoconhecimento primeiro e depois escolherá as cores e tonalidades para usar de acordo com a sua intenção ou objetivo de usar cores. Estar antenada com a tendência de cores é uma informação a mais, algo que enriquece o nosso olhar, nos apresenta novas possibilidades. 


Claro que isso também é um pouco discutível. Lembram esta cena incrível no Diabo Veste Prada? Ela claramente diz como, quando se trata de moda, somos influenciados pelo que é decidido entre quatro paredes que será tendência. Eu não sou especialista em moda mas sinto como verdadeiro que quando vamos comprar roupa acabamos escolhendo a partir do que já está nas araras (perdemos o costume de mandar confeccionar nossas próprias roupas como nossas mães e avós faziam). Talvez por isso eu gosto tanto de usar cores na decoração porque ao ter um catálogo de tintas na mão com mais de 1300 cores sinto uma enorme liberdade sempre em escolher as cores que considero certas para cada projeto :)

O meu primeiro contato pessoal com tendências foi em 2015 quando participei do primeiro ChromaZone - reunião anual de tendências - junto ao pessoal do Color Marketing Group. Desde então todos os anos participo, como representante do Brasil e este ano também da América Latina, e tem sido muito enriquecedor. Assim eu entendi que para realizar tendência de cores é importante estar antenado nos grandes acontecimentos sociais, políticos, ambientais e tecnológicos, olhar o que está acontecendo no mundo, como esses grandes temas que influenciam a sociedade com um todo e finalmente como isso é refletido em cores e tonalidades. É um exercício de muita criatividade e que nos obriga e pensar como as cores transmitem emoções e sensações que é uma das crenças mais fortes que sigo em Cores Lovers. 

Quando você começa a acompanhar ano a ano, com o tempo dá para perceber a evolução das cores. Se há uma evolução para cores mais claras, ou mais escuras (como aconteceu há um dos anos que foi o boom das cores escuras), ou cores mais terrosas, ou cores mais intensas, ou cores mais quentes, ou cores mais frias, e assim vai. Normalmente olhar essa “evolução” é mais legal e mais importante do que ficar ligado em uma única cor do ano.


Para 2021 a Sherwin Williams escolheu a cor Bronze Conectado uma cor cinza escura com subtom marrom chocolate.

E a Coral escolheu a cor Pedra Esculpida, uma cor terrosa e quente (tem subtom amarelo) de luminosidade média (nem muito clara, nem muito escura).