EVITE OS ERROS MAIS COMUNS NA HORA DE COMBINAR CORES

Ainda lembro o erro que cometi na escolha da cor de dois sofás que seriam usados juntos em uma sala grande. Era 2013, eu me aventurava em um dos meus primeiros projetos na casa de uma ex-colega da Natura. Depois de tomar muito cuidado na hora de combinar os tecidos desses novos sofás com as cortinas, com o tapete e com a marcenaria que estava na sala, deixei passar por alto um detalhe que me custou uma boa dor de cabeça primeiro e um grande aprendizado depois.


Errar faz parte quando se trata de aprender algo novo. Devo reconhecer que preferiria não errar porque no fim das contas sou uma perfeccionista. Mas, depois de me recuperar da minhas dores de cabeça, sei que o melhor que fizeram todos os meus erros foi me alavancar. E eles são também responsáveis de que hoje goste tanto de dar aulas: tenho o maior prazer de passar adiante todo o aprendido.

Nestes anos todos aprendi quais são os erros mais comuns e que podem ser eveitados na hora de combinar cores. Intimamente desejo que minhas alunas não repitam os mesmos erros. Pode até ser que cometam outros erros, mas não os mesmos. Está preparada? Toma nota de cada um para não cair neles!


  • Combinar cores que brigam por atenção. Uma das características fundamentais de toda combinação de cores boa é que as cores se relacionam em forma agradável e sem esforço. Se você montou uma combinação e percebe que há uma tensão entre as cores e elas brigam por atenção é sinal de que algo pode ser melhorado. A única exceção seria quando você deseja mesmo criar algo que gere tensão.


  • Combinar cores sem contraste, como nada ganha destaque logo fica desinteressante. O contraste é inerente a toda combinação de cores. E atenção porque o contraste nem sempre precisa ser alto, o contraste também pode ser baixo quando buscamos uma combinação menos dinâmica por exemplo. Mas, no mundo das cores onde a maestria é feita por sutilezas, combinar cores com contraste baixo é totalmente diferente a combinar cores sem contraste nenhum.


  • Combinar cores que não servem para a mensagem que se deseja comunicar. Quando se trata de combinar cores a escolha das cores e sua combinação somente deve acontecer depois de ter clareza total do que se deseja comunicar. Se esse passo inicial é esquecido ou negligenciado você pode terminar com uma linda combinação que não serve para nada. Pois é, pode soar duro mas é assim mesmo.


  • Combinar cores somente em função de modas e tendências, que rapidamente viram "cliché" e assim perde força. Todos os anos somos bombardeados com imagens das cores da moda, seja nas mídias sociais ou ao vivo, como quando vamos comprar roupas ou escolher revestimentos. Se somos pouco criteriosos e nos deixamos levar por essas tendências pode ser que em pouco tempo fiquemos com sensação de vazio ou baixa identificação com essas combinações. Isso somente não seria um erro quando se trata de uma combinação de cores para um produto ou projeto de ciclo de renovação curto, que podemos nos dar ao luxo de uma personalização frequente sem muita dor de cabeça.


  • Combinar as cores que você gosta e perder de vista o seu objetivo. Pode acontecer que as cores que você gosta não sejam as melhores para seu projeto. Este erro é um que certamente pode ser evitado. Cor é subjetiva e todos temos nossas cores preferidas. Lembrar que a cor é universal mas a apreciação que fazemos dela é pessoal, deveria ser suficiente para desencorajar combinar cores somente guiados pelo nosso gosto pessoal. A única exceção seria se você realiza um trabalho autoral e os teus clientes compram tuas combinações exatamente porque elas falam de você.

  • Combinar cores sem caprichar na correta calibração de tonalidades, normalmente terminam sendo projetos que "quase" funcionam mas não funcionam. Pode ser difícil assimilar a verdade mais verdadeira de que todas as cores combinam com todas as cores e o segredo de combiná-las está em escolher muito bem as luminosidades e saturações dessas cores. Como eu sempre digo, as tonalidades importam mais do que as cores!


  • Combinar cores com uma estrutura de luminosidade pobre. Quando pensamos em combinar cores pensamos em contraste. E o contraste pode tomar diferentes formas: matiz, luminosidade, saturação e temperatura. O mais curioso é que dentre todos eles o contraste mais importante é o de luminosidade. Trabalhar muito bem luz e sombra é o segredo. Uma boa estrutura de luminosidade guia o olhar e ajuda a entender o que está sendo visto.


Como eu disse lá no começo, errar faz parte do aprendizado mas se você puder se poupar destes erros já será ótimo. Assim você evitará pelo menos alguns dos custos indesejados de errar. Em todos estes anos, para mim os custos mais importantes têm sido umas boas dores de cabeça e muita ansiedade até poder digerir o erro e resolver o que precisava ser resolvido. Em alguns casos tenho tido custos financeiros dos meus erros, quando enfrentei eu mesma do meu bolso despesas extras de retrabalhos que não correspondiam aos meus clientes. Felizmente nunca perdi um cliente por conta de um erro, até porque sempre assumi eles com muita responsabilidade.


Ah! Quer que te conte qual foi o erro e o aprendizado da história dos dois sofás? A ideia era que os sofás fossem diferentes mas não tanto, ou seja, um contraste baixo. No auge de 2013 a cor escolhida para os dois sofás foi o cinza. Eu selecionei dois tecidos cinzas que eram próximos mas diferentes. E diligentemente combinei muito bem essas duas cores com as cores de "elementos fixos" no ambiente como o tapete, as cortinas, outras peças de mobília e de marcenaria. O tempo todo comparava as duas cores de cinza juntas, uma do lado da outra e dessa forma elas pareciam suficientemente diferentes (cada vez que as comparava o que via mesmo era o contraste entre elas). Mas, quando os sofás foram entregues e posicionados um em cada canto da sala grande, para minha surpresa eles pareciam iguais. Onde ficou o contraste dos tecidos que eu tinha aprovado? Assim foi como aprendi que da mesma forma que nossos olhos veem como diferentes duas cores similares que estão juntas. Eles veem como iguais duas cores similares que estão distantes. Ou seja, para que elas fossem mais diferentes o contraste entre elas deveria ter sido maior.


Desejo tudo de melhor para você! E se você cometer um erro e aprender com ele, vai lá no Insta e conta para mim quem sabe você também me poupa de uma ou outra dor de cabeça ocasional :)


Abraço colorido!

Nos vemos logo mais, daqui 7 dias por aqui.

Felicitas