COMO PERDER O MEDO DE USAR CORES

O medo de usar cores é um fantasma que assombra muitas pessoas. Ele parece um perigo latente, esperando para agir. Esse medo pode ser irracional, quando você nunca passou pelo umbral mas ainda assim fica imobilizada; ou fundamentado, quando você já usou cores e por algum motivo não gostou da experiência e portanto disse para si mesma "nunca mais". De uma forma ou outra, eu sei que você pode perder o medo de usar cores. Já vi isso acontecer inúmeras vezes nos últimos 8 anos realizando projetos de interiores e nos últimos 3 anos realizando o curso "Oficina da Cor". Deixa te contar minha experiência.



Há 3 diferentes situações que acabam sendo entendidas como "medo de usar cores":

1. o medo a usar cores é na verdade medo de mudança camuflado;

2. o medo a usar cores é na verdade a luta interna com preconceitos respeito das cores;

3. o medo a usar cores é na verdade desconhecimento de como usar.


MEDO DA MUDANÇA: o medo de mudar não é privativo do mundo das cores. Há quem pode ter medo de usar cores na casa ou vestir roupas coloridas, mas outras pessoas têm medo de experimentar receitas novas na cozinha, ou de largar seu trabalho e apostar em um empreendimento pessoal, ou medo de conversar com um desconhecido em uma festa. São diferentes temores mas todos enraizados no medo de mudar, medo ao novo. E de alguma forma esse temor é genuíno porque há uma incógnita por resolver, você de fato não sabe como será o resultado. Talvez por isso é tão tranquilizador e motivador ver cases de "antes e depois" de pessoas reais com as quais podemos nos identificar e que passaram pelo umbral de pintar a casa, transformar um espaço pelo uso das cores ou adotar um novo look colorido, por exemplo.


Se este for o teu caso, se você relaciona o seu medo de usar cores ao medo de mudar, seguem alguns conselhos:

- admita que o medo é de mudança e isso já será libertador, as barreiras começam a cair;

- tenha um objetivo claro do que quer conquistar com as cores, como eu sempre digo escolher cores trata de emoções e não de cores;

- se for possível conte com a ajuda de um profissional acostumado a lidar com cores (designer de interiores, arquiteto, consultora de imagem e estilo, paisagista, maquiador, vitrinista, designer de estampas... de acordo com a sua necessidade);

- dê tempo para a mudança acontecer na sua mente e no seu coração, ou seja depois que fez o movimento colorido conviva com ele, curta ele, deixe a cor fazer sua transformação que para ser relevante precisa ser mais interna do que externa, dá tempo para que a cor faça sua parte.