COMO COMBINAR CORES E SAIR DO BÁSICO

Todos temos uma ideia de quais cores gostamos mais e quais cores gostamos menos. "Eu adoro azul", dirão uns. "Eu não vivo sem verde", dirão outros. E há quem não resiste ao amigável laranja. Mas... o que a gente faz com uma única cor? Pouco para falar verdade. Mesmo se você decidir cair na tendência dos monocromáticos precisará usar diferentes tonalidades para dar algum movimento na composição. Caso contrário, corre altos riscos de ficar muito (mas muito) sem graça, ou o que é pior, confuso.

E não somente precisamos saber cominar cores, nos dias de hoje em que é tão valorizada a identidade visual (de pessoas, espaços, marcas e produtos) é desejável sair do básico.


O que me faz lembrar à conversa que tive esta semana com a ex-aluna da Jornada da Cor, Fê Ávila. Fernanda trabalha com gestão de imagem e comportamento e ela tem uma metodologia em que busca dar vazão ao "fator Uau" de cada pessoa, marca ou empresa com a qual trabalha [o bate papo completo está no IGTV de @coreslovers].


Depois de terminado o nosso papo fiquei pensando em uma forma de usar cores para sair do básico. E nada melhor do que mostrar possibilidades usando o kit de papéis coloridos de Cores Lovers (bônus exclusivo para os alunos do curso Jornada da Cor).


E deixa te contar como vou fazer: vou partir sempre de uma cor, tendo em mente aquela ideia que todos sabemos que gostamos muito de uma cor, essa "uma" cor será a primeira cor escolhida para a paleta de cores. A partir dela vou dar sugestões de outras cores para combinar, explicando o meu raciocínio em cada caso. Mas antes três esclarecimentos:


- para fazer estas 10 paletas coloridas vou relevar a questão de pensar no objetivo da paleta de cores, vou me centrar nas tonalidades e suas possibilidades.

- fiz todas as paletas de três cores, exceto um par que têm quatro cores, por nada especial. Geralmente me parece que três é um bom número de cores em um esquema para combinar.

- estas paletas também não consideram o efeito da proporção no uso das cores, algo que normalmente acontece mas aqui deixei de lado para, de novo, focar nas tonalidades.


Agora sim! Vamos lá.