top of page

MELHOR COMBINAR CORES USANDO A INTUIÇÃO COLORIDA OU USANDO A RAZÃO?

Qual é o melhor caminho: combinar cores usando a intuição colorida ou usando a razão? Você já se fez essa pergunta? Eu sim. Mil vezes. A primeira vez foi quando errei feio na escolha da cor de tinta de uma cliente e o medo de errar de novo me fez pensar que tinha perdido minha intuição colorida.


Felizmente hoje eu sei que a intuição colorida nunca nos abandona. Mas esse é o final da história. Vamos começar pelo começo.


Todos sem exceção começamos a usar cores desde muito pequenos somente guiados pela nossa intuição. Cor é algo que nasce conosco. E lembra sempre isso porque aí reside grande parte do segredo de ser muito bom usando cores.


Crescemos e aprendemos a pegar no lápis, aprendemos a desenhar dentro da folha, aprendemos que canetinha não apaga... e assim vai. Mas nunca ouvi ninguém dizer a uma criança: "Usa vermelho com laranja porque são análogas" ou "Está muito saturado esse desenho, troca algumas cores por outras mais apagadas" ou "O vermelho está chamando muita atenção, equilibra o desenho com outra cor".


Mas aí viramos adultos profissionais e parece que toda essa intimidade com as cores ficou esquecida na última gaveta das memórias coloridas. De repente não sabemos se marrom e azul combinam, se o violeta é uma boa cor para uma festa de casamento, se é bom ou não vestir um lenço pink em uma reunião de trabalho.


E de alguma forma está certo porque quando viramos adultos profissionais há muitos interesses em jogo. Sim, para continuar o jogo de palavras... usar cores como adultos profissionais não é brincadeira.


Quando eu errei na casa da minha cliente eu tinha me guiado somente pela minha intuição colorida. Hoje entendo que o desafio colorido pedia algo a mais do que a minha intuição. Eu errei por não saber fazer a leitura de subtom de um off-white.


Minha intuição colorida poderia ter me salvado? Talvez sim, talvez não. Até então eu nunca tinha estudado para valer cor e também não tinha o jogo de cintura que a prática dá.


Eu senti tanta, mas tanta vergonha de errar dessa forma que esse momento acabou sendo um divisor de águas na minha carreira profissional. Eu decidi que o medo não iria me imobilizar, pelo contrário usei o medo como trampolim para estudar e me projetar como especialista em cor.


Ah... e me dediquei viu?


Quase 10 anos depois (ano próximo vão fazer 10 anos desse "feliz" episódio) sei que para ser muito bom com cores você precisa dos dois: da intuição colorida que todos temos e de uma base sólida de conhecimento de teoria das cores.


Á teoria das cores cabe o SABER, você sabe que está usando o processo certo de escolha das cores, você sabe que está avaliando tudo que precisa ser avaliado, você sabe que fez um bom briefing junto ao seu cliente, você sabe para onde vai a direção de cor das tendências... tudo isso você sabe.


Á intuição colorida cabe o SENTIR, você sente que não precisa pesquisar mais e que a solução está nas tuas mãos, você sente que a escolha de cores que fez é a correta, você sente que aquelas cores estão comunicando a mensagem certa... tudo isso você sente.


O mais incrível de tudo é que o SABER e o SENTIR se retroalimentam um ao outro. Eu sinto porque sei, ou sei porque sinto? Muito louco pensar isso? Não para um especialista em cor que trabalha com um elemento tão volátil como a Cor.


paleta de cores Cores Lovers

Por esse motivo não acredito em escolher e combinar cores baseando as nossas escolhas somente em ferramentas ou somente em métodos. Isso está muito bem mas, o foco fica centrado no saber.


A ferramenta e o método nunca vão te dar a resposta certa. A resposta certeira das suas escolhas e combinações de cores está em você, no seu saber e no seu sentir, juntos os dois em um mix único e pessoal.


Daqui 1 mês vou lançar o novo curso de cores que chama COLORir. O nome vem da ideia de combinar cores usando a intuição e a razão. Os dois juntos, em sintonia.


O curso está ancorado no Método dos 4 elementos do Universo que desenvolvi em base à minha experiência. E também devo admitir a uma vivência muito pessoal que carrego desde a infância e que por essas coisas da vida se fez presente com força anos atrás quando comecei a me envolver de alma, mente e coração a me especializar em cores.


A lembrança é forte: o meu pai comprou o livro Cosmos de Carl Sagan. Eu amava olhar as imagens do universo, galáxias, planetas... e ler as letras pequenas das fotos.


Junto com o livro o autor lançou ao mundo uma ideia muito potente "Somos feitos de poeira de estrelas. Nós somos uma maneira de o cosmos se autoconhecer."

Não consigo explicar como nem por que, mas essa ideia ficou na minha memória anos e anos, esperando para dar frutos.

Entrar no mundo das cores e exercitar formas de dar vazão à minha criatividade em cores com confiança fez que, de repente, tudo faça sentido para mi: Se somos feitos de poeira de estrelas, então todas as cores do universo estão em mim, só preciso dar vazão às minhas cores.

Isso me libertou! As cores já estão em mim! Eu não preciso buscar nada lá fora, está todo em mim. E olha só, as cores já estão também em você, somente precisa acessar a sua intuição colorida que nunca te abandona e dar vazão às suas cores.


Na hora de combinar cores é precisa usar sua intuição colorida junto com uma base sólida de conhecimento. Os desafios coloridos de um profissional das cores não se resolvem somente pela intuição. E também não se resolvem somente com teoria das cores. Você precisa aliar o saber e o sentir em sintonia e com um mix muito próprio e pessoal.

Boa semana colorida! Nos vemos daqui 7 dias para continuar ampliando o seu olhar do mundo colorido e destravando sua intuição colorida.


Abraço colorido! Felicitas


download gratuito o guia visual das 100 tonalidades cores lovers



logo Cores Lovers
bottom of page