A LINGUAGEM EMOCIONAL DA COR


Cor mexe com as nossas emoções. Acredito que falar da linguagem emocional da cor, falar da Psicologia da Cor, é um dos temas que mais desperta genuína curiosidade no mundo das cores. Não estranha se pensamos que 90% da informação que processamos no nosso dia a dia nos chega em forma visual.

A web está recheada de artigos acerca do que parecem ser verdades universais. Azul é frio. Vermelho é cálido. Cores frias são calmas mas também podem transmitir tristeza. Cores quentes evocam energia, dinamismo e alegria. Muito amarelo pode irritar. Neutros são sofisticados. Cinzas denotam maturidade... E assim vai…


Será que as emoções que as cores transmitem são tão previsíveis? Quer gerar um clima amigável? Use o cálido, social e amigável laranja. Quer se re-energizar? Use o estimulador vermelho. Quer relaxar e dormir? Mergulhe no tranquilizador azul. Não tem certeza? Use o ambíguo violeta. Quer um ambiente meditativo? Use o branco silencioso. Odeia cor? Use cinza. Quer trazer luz para questões relevantes? O amarelo criativo é a solução.


Se for assim seria fácil. Não acha?

Se pensamos na cromoterapia - a prática de usar cores na cura de doenças - podemos muito bem defender a ideia de que há verdades universais ao redor das cores. Já antigas civilizações no Egito, Grécia, India e China usavam estas práticas com o objetivo de harmonizar o corpo. Não muito diferente da proposta do Chroma Yoga - uma nova abordagem na prática de yoga que combina luz colorida, som e óleos essenciais - que propõe “um novo espectro de benefícios”.


Mas ao mesmo tempo quem trabalha com design - ou qualquer atividade que une cor à pessoas - sabe que o cai bom a alguém pode ser rejeitado por outro alguém. Mmmm... agora eu me confundi. No fim, há um certo e errado na linguagem emocional da cor - na psicologia da cor - ou as emoções nas quais se baseiam nossas escolhas de cores (ou derivadas das nossas escolhas de cores) são totalmente pessoais?

Aqui precisamos distinguir algumas ideias e conceitos. Não é o mesmo pensar em associações de cores pessoais, do que simbolismos de cores culturais ou psicologia da cor (tanto no que se refere a significados positivos quanto negativos).