ICONOS FASHION e SUAS CORES


A minha mais nova descoberta é sobre o rosa eletrizante (um tom super intenso de magenta) ou “rosa shocking”, a assinatura de cor de Elsa Schiaparelli (1890-1973), estilista italiana nos anos 30. Enquanto Coco Chanel fazia gala de seu pretinho básico, Elsa trazia um flash de cor em suas criações, seus vestidos, no seu perfume também batizado “Shocking” e em co-criações com Salvador Dali, pintor surrealista, como o “chapéu-sapato”. Elsa acabou fechando sua maison em 1954 mas em 2012 a grife voltou renovada com novos estilistas a frente dela mantendo viva a tradição do "rosa shocking".




Coco Chanel, também nos anos 30, além de ter libertado às mulheres de corpetes e roupas pesadas, fez da cor preta, na época relegada a viúvas e orfãs, o epítome da elegância no vestir feminino. E ainda a dupla preto e branco (e dourado, na minha opinião) são marca registrada da grife até hoje. “As mulheres pensam em todas as cores, exceto na ausência da cor. Eu sempre digo que preto tem tudo o que se precisa. Branco também. A beleza deles é absoluta. É a harmonia perfeita”, dizia Coco. O que mais?