JÁ CONHECEMOS ALGUMAS CORES DO ANO, E AGORA O QUE FAZEMOS COM ISSO?


Acredito fortemente em libertar o uso da cor com confiança e propósito e por isso eu vivo me perguntando… Cor do ano: para que? Chego até me questionar se deveria de fato até falar deste assunto sendo que o uso da cor com liberdade, sem amarras à criatividade e em conexão com as nossas emoções… se guia somente pelo coração mesmo.


Então, para que mesmo Cor do ano? Como profissional da cor acredito que acompanhar as tendências de cores servem para entender de uma forma abrangente um “sentir” maior que é do mundo, que é interpretado pelos grupos que fazem tendências de cores, e olhando essas diferentes visões podemos ter uma ideia de para onde caminhamos como sociedade. Esse conhecimento enriquece a nossa experiência e referências de cores quando trabalhamos, quando escolhemos harmonias, quando conversamos com um cliente.


Três grandes marcas de tintas já divulgaram suas cores do ano para 2018. E suas interpretações são reflexo de uma bela diversidade que vale a pena analisar. A Coral faz um chamado para nos reconectar com cores calmas e tranquilas com um cinza rosado chamado Adorno Rupestre. A Sherwin Williams elegeu como cor do ano um azul esverdeado que mistura a calma e tranquilidade do azul com o equilíbrio do verde chamado Melodia do Mar. E a Suvinil escolheu a cor Terra Roxa, um tom laranja terroso que fala de uma paleta natural.